sexta-feira, 30 de julho de 2010

Invisibilidade Social

No ano passado, escrevi um artigo "o homem invisivel":http://guedesdudu.blogspot.com/2009/08/o-homem-invisivel.html. Ontem conversando com um amigo, ele me comentou sobre uma interessante tese de mestrado de um psicologo na USP, que durante 5 anos fez um trabalho de campo e trabalhou como gari na mesma faculdade sem que fosse notado ou reconhecido pelas pessoas ... Pior do que as pessoas invisiveis que nao sao notadas, sao os cegos visiveis que nao conseguem observar ... E existem tantos pelo trabalho ! Abaixo, compartilho um pouco do tema:

"A pesquisa Garis - um estudo de psicologia sobre invisibilidade pública busca contribuir na determinação de um novo conceito: a invisibilidade pública. Trata-se de uma percepção humana prejudicada e condicionada à divisão social do trabalho, ou seja, enxerga-se somente a função e não a pessoa. "Um simples 'bom dia' e a pessoa pode sentir que novamente existe", relata o psicólogo Fernando Braga da Costa, que defendeu seu mestrado no Instituto de Psicologia (IP) da USP em novembro de 2002.

Braga ressalta que não se trata de um aspecto biológico da visão e sim de uma prática oriunda de um "fosso" entre as pessoas, resultante das diferenças sociais nas diversas classes existentes. "A invisibilidade pública opera em dois planos: consciente e inconsciente. Quanto mais próximo se está desse sujeito 'invisível', mais consciência dela se tem." O resultado, segundo o pesquisador, é que pessoas passam a ser entendidas como coisas, chegando a ser imperceptíveis.

Em 1996, o psicólogo iniciara o trabalho de campo. Durante cinco anos ele trabalhou como gari, no mínimo meio período, de um a três dias por semana no Campus da Cidade Universitária da Capital Paulista. Fernando cursava o segundo ano da faculdade e tinha uma disciplina voltada ao propósito de psicólogos desenvolverem estudos engajando-se na atividade escolhida. Esse método é conhecido como Etnográfico.

Fenômeno de mão dupla
Com o mestrado, a pesquisa se desenvolveu em dois níveis. Primeiro, conhecer e avaliar as condições de trabalho dos garis, bem como as condições morais e psicológicas nas quais estão inseridos na cena pública. O segundo, analisar as aberturas e barreiras psicossociais que operam nos encontros entre o psicólogo social e os garis, ou seja, se havia aproximação e de que forma.

O estudioso comenta que a distinção de classe social determina a ação social. É um fenômeno de mão dupla, mas de origens diferentes. Um exemplo: enquanto pessoas da classe média não cumprimentam o gari por entenderem que não se trata de uma pessoa e sim de uma função, ele tenta se proteger da violência da invisibilidade não respondendo a um eventual cumprimento.

Uma das saídas a esta situação, destaca o pesquisador, seria num primeiro momento ter consciência sobre a invisibilidade pública. O segundo passo, ter um "olhar" mais atento àqueles que estão a nossa volta. "O uniforme simboliza a invisibilidade; temos de mudar isso, pois também se trata de uma violência."

quarta-feira, 28 de julho de 2010

O olhar do arquiteto - Duplo com Ale e Virginia

O voo eh como uma arte para mim. Eh transceder a existencia e sublimar a materia. Ouvir a alma e saber ler o universo. Exercitar nossa sensibilidade criativa, com um olhar de artista, misturando a simplicidade de uma crianca e a grandeza de um poeta. Brincar de olhar para o mundo com os olhos do grande arquiteto. Ver a nossa nave-mae de fora, navegar pelos ceus e brincar de tocar as nuvens. No video, minha homenagem especial ao casal gente boa Ale e Virginia. 2 pessoas iluminadas que para minha felicidade cruzaram meu caminho de maneira inesperada e intensa.

video

terça-feira, 27 de julho de 2010

Universo em Si


"Você está pronto para entrar num universo de extremo poder?
Esse lugar está dentro de si, na intimidade do seu coração.
O que existe agora na sua vida é o resultado do que vem sentindo e pensando.
Tudo tem início dentro de si.
Esta é a regra para o processo de criar a vida que sempre quis ter.
Existe um pequeno Eu no seu interior.
Ele pode ser seu amigo ou o pior inimigo, tudo vai depender do seu relacionamento com ele.
Trate-o com carinho e paciência.
O tempo é relativo para a Lei da Atração: vai depender de muitos fatores contidos no seu mundo interior, não pode passar por cima de muitos anos de crenças destrutivas.
Porém, é uma estrada milagrosa que começa com o primeiro passo.
“A imaginação é a arma dos poderosos...”
Leis imutáveis:
- O Mundo como você o vê é o reflexo de quem você é.
- A sua aparência física é o resultado do âmago da sua consciência.
- Você se torna aquilo que mais pensa a seu respeito.
- Pela física quântica, as moléculas alteram-se conforme o observador.
Somos os centros criadores e as mensagens que enviamos são as mesmas que estão elaborando as nossas vidas.
Quer amemos ou odiemos alguma coisa, estaremos a atraí-la para a nossa vida (não existe exclusão no universo, apenas inclusão).
Quando estamos felizes com os resultados da vida, é raro prestarmos atenção à nossa vibração interior.
Só percebemos que algo precisa de mudar quando os problemas começam a surgir.
É impossível que alguém que se sente doente encontre a cura.
É improvável que aquele que se sente miserável, enriqueça.
É duvidoso que aquele que se sente só, encontre o amor.
O espírito não consegue perceber quando está doente.
A cura vai acontecendo, passo a passo, na medida em que velhas crenças e hábitos vão sendo substituídos por uma consciência de luz.
Quanto mais alto estivermos vibrando, mais claro será o sinal que estaremos emitindo.
Uma nova consciência não conseguirá coexistir com uma vibração impaciente ou exausta.
Quando estamos sintonizados com o nosso desejo:
o modo como vemos a vida dá um salto em direção à luz;
o espírito sorri para evidências invisíveis, porém reais;
os nossos julgamentos dão lugar a uma liberdade antes ignorada;
as nossas queixas silenciam.
O processo de atrair a realidade desejada é a arte de combinar elementos.
Nós é que fazemos o convite à Mudança!
O universo é receptivo às suas vontades.
Torne-se aquilo que mais deseja.
São os seus julgamentos, a maneira como vê as coisas, que o afastam ou o aproximam da realização de um desejo.
As pessoas com quem se relaciona e o tipo de vida que leva são uma projeção concreta do que imaginou. A consciência é a maior arquiteta do universo.
Tudo gira ao seu redor.
Você é o centro.
“Os seus pensamentos, sentimentos e quadros mentais podem ser chamados eventos externos em gestação, pois de uma forma ou de outra, cada um deles se materializa na realidade física.” (A natureza da realidade pessoal -Seth- por Jane Roberts)
Tem um Desejo?
Imagine...
Sinta...
Acredite...
E é seu.
Se não fosse para ser seu, não existiria o desejo.
É Deus querendo vivê-lo na sua pele.
Toda a conquista requer emoção e vibração.
Para realizar um sonho há que estar em sintonia com ele.
A minha alegria só depende daquilo a que escolho prestar atenção. (Abraham-Hicks)
"Tudo o que somos é resultado dos nossos pensamentos." (Buddha)
“Qualquer coisa que a mente do homem pode conceber, pode também alcançar." (William Clement Stone)
"O Universo é baseado na Atração. Tudo é Atração. A maneira como se sente vai dizer-lhe se está a vibrar perto ou longe do seu desejo.” (Esther Hicks)
Decida o que quer!
Pesquise, admire, escreva, construa imagens...
Use a imaginação.
Viva a sua vida como se já tivesse conquistado o que quer.
A isto se chama alinhamento vibracional.
Não se preocupe como conseguirá o seu objetivo!
Esse é um trabalho que cabe unicamente ao Universo.
A sua conexão é dentro do coração, ele mostrar-lhe-á o melhor caminho!
“É dentro de cada um que todas as perguntas são respondidas e todos os sonhos se realizam. Existe aí uma luz que lhe mostra o caminho e que faz acontecer o melhor.
Confie nessa conexão de amor que o move para que tudo dê certo...
E tudo sempre dá, magicamente, certo!”

sexta-feira, 23 de julho de 2010

As Quatro Estacoes



Um homem tinha quatro filhos. Ele queria que seus filhos aprendessem a não julgar as coisas de modo apressado, por isso, ele mandou cada um em uma viagem, para observar uma parreira que estava plantada em um distante local.

O primeiro filho foi lá no inverno, o segundo na primavera, o terceiro no verão, e o quarto e mais jovem, no outono.

Todos eles partiram, e quando retornaram, o pai os reuniu, e pediu que cada um descrevesse o que tinham visto.

O primeiro filho disse que a árvore era feia, torta e retorcida.

O segundo filho disse que não, que ela era recoberta de botões verdes, e cheia de promessas.

O terceiro filho discordou; disse que ela estava coberta de flores, que tinham um cheiro tão doce e eram tão bonitas, que ele arriscaria dizer que eram a coisa mais graciosa que ele jamais tinha visto.

O último filho discordou de todos eles; ele disse que a árvore estava carregada e arqueada, cheia de frutas, vida e promessas.

O homem então explicou a seus filhos que todos eles estavam certos, porque eles haviam visto apenas uma estação da vida da árvore.

Ele falou que não se pode julgar uma árvore, ou uma pessoa, por apenas uma estação, e que a essência de quem eles são, e o prazer, a alegria e o amor que vêm daquela vida podem apenas ser medidos ao final, quando todas as estações estão completas.

Se você desistir quando for inverno, você perderá a promessa da primavera, a beleza de seu verão, a expectativa do outono.

Não permita que a dor de uma estação destrua a alegria de todas as outras. Não julgue a vida apenas por uma estação difícil. Persevere através dos caminhos difíceis, e melhores tempos certamente virão de uma hora para a outra.


“Os vencedores da batalha da vida são homens perseverantes que, sem se julgarem gênios, se convenceram de que só pelo esforço e perseverança poderiam chegar ao fim almejado”.

Mais 5 Minutos

No parque, uma mulher sentou-se ao lado de um homem em um banco perto do playground.

- Aquele, logo ali, é meu filho. Ela disse, apontando para um pequeno menino usando um suéter vermelho e que deslizava no escorregador.

- Um bonito garoto - o homem respondeu e completou - aquela usando vestido branco, pedalando sua bicicleta, é minha filha.

Então, olhando o relógio, o homem chamou a sua filha.

- Melissa, o que você acha de irmos?

E Melissa suplicou:

- Mais cinco minutos, pai. Por favor, só mais cinco minutos.

O homem concordou e Melissa continuou pedalando sua bicicleta, para alegria de seu coração.

Os minutos se passaram e o pai levantou-se e novamente chamou sua filha.

- Hora de ir agora.

Outra vez Melissa pediu:

- Mais cinco minutos, pai. Só mais cinco minutos.

O homem sorriu e disse:

- Está certo!

- O senhor é certamente um pai muito paciente - a mulher comentou.

O homem sorriu e disse:

- O irmão mais velho de Melissa foi morto por um motorista bêbado no ano passado quando montava sua bicicleta perto daqui. Eu nunca passei muito tempo com ele e agora eu daria qualquer coisa por apenas mais cinco minutos com ele. Eu me prometi não cometer o mesmo erro com Melissa. Ela acha que tem mais cinco minutos para andar de bicicleta. Na verdade, eu é que tenho mais cinco minutos para vê-la brincar.

Em tudo na vida estabelecemos prioridades. O que são as suas prioridades?

Dê a alguém que você ama mais cinco minutos de seu tempo hoje!


“O melhor presente que você pode dar a uma pessoa é a pureza da sua atenção”.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Voo-duplo com um casal muito especial






Final de semana promissor em Santa Rita, julho/2010. Chegamos no sabado, eu, Cleytinho Big Fly, Mirela e a pequena Valentina, alem do gente boa e parceiro Fabricio (cunhado do Cleyton, alem de novo amigo e resgate "Presuntinho").
Na sexta, um voo curto, de cerca de 1 hora, 15 km, com teto baixo e algumas boas termicas pelo caminho. Decolei tarde, ja depois das 13h. Segui sentido a rota RJO, por cima da estrada em direcao a Itajuba. Embora estivesse a contra-vento, era a unica formacao de nuvens ... O vario parou de apitar no caminho e tive que trabalhar minha sensibilidade de passaro para enroscar nas termicas sem a ajuda sonora dos instrumentos. Pousei 15 km depois no meio de um capim alto ... Voltamos a rampa, e decolei novamente, seguido do Big Fly ... Por do sol espetacular com direito a coloracoes diferentes no ceu para abencoar nosso final de tarde.
Chegamos a pousada do barao e fomos recebidos praticamente como membros da familia. O "barao" perguntou quem de nos fazia voo-duplo e apresentou o casal Alexandre e Virginia, interessados em navegar pelos ceus de santa rita. Prontamente, me ofereci e comentei sobre a seguranca do esporte. Alguns minutos de prosa e risadas, combinei com o casal gente boa as 08:30 no cafe (e que cafe).
09:30 do dia seguinte ja estavamos na rampa. Alexandre foi o primeiro e ficou muito a vontade com o equipamento. Fizemos algumas manobras e derrapamos nos ceus !! Apos um pouso tranquilo, Ale me perguntou como faria para comecar a voar solo (eu ja vi este filme, e dei algumas dicas).
Subimos novamente, e era a hora de Virginia. 11:30 da manha, o ceu comecava a formar muito rapido algumas nuvens e percebi que a condicao estaria forte. Pedi ao Cleyton que esperasse ja que ele ainda (por pouco tempo) nao tinha tanta familiaridade em voar numa condicao mais turbulenta. Equipei a Virginia, lhe ofereci um casaco, expliquei que seria um voo-longo e que iriamos ate a base das nuvens. Fizemos um exercicio de mentalizacao e respiracao para reduzir a ansiedade e desviar o foco do medo. Ja nos ceus, em pouco mais de 15 minutos ja estavamos na base da nuvem a mais de 1.000 m do chao. Simplesmente demais. Pedi a Virginia para abrir os bracos e deixar seus problemas cairem. Ficamos leves e voamos por mais de 1 hora !
Pouso programado no pesqueiro, reunimos a turma, pescamos (ou pelo menos tentamos) e terminamos o dia com um belo file de tilapia !


Obrigado Deus ! E que o universo nos permita enxergar sempre com os olhos de uma crianca e desfrutar da magnifica simplicidade da natureza !

sexta-feira, 16 de julho de 2010

As quatro leis da espiritualidade


Na Índia, são ensinadas as "quatro leis da espiritualidade":

A primeira diz: "A pessoa que vem é a pessoa certa".
Ninguém entra em nossas vidas por acaso. Todas as pessoas ao nosso redor, interagindo com a gente, têm algo para nos fazer aprender e avançar em cada situação.

A segunda lei diz: "Aconteceu a única coisa que poderia ter acontecido”.
Nada, nada absolutamente nada do que acontece em nossas vidas poderia ter sido de outra forma. Mesmo o menor detalhe. Não há nenhum "se eu tivesse feito tal coisa...” ou “aconteceu que um outro ...". Não. O que aconteceu foi tudo o que poderia ter acontecido, e foi para aprendermos a lição e seguirmos em frente. Todas e cada uma das situações que acontecem em nossas vidas são perfeitas.

A terceira diz: "Toda vez que você iniciar é o momento certo".
Tudo começa na hora certa, nem antes nem depois. Quando estamos prontos para iniciar algo novo em nossas vidas, é que as coisas acontecem.

E a quarta e última afirma: "Quando algo termina, ele termina".
Simplesmente assim. Se algo acabou em nossas vidas é para a nossa evolução. Por isso, é melhor sair, ir em frente e se enriquecer com a experiência. Não é por acaso que estamos lendo este texto agora. Se ele vem à nossa vida hoje, é porque estamos preparados para entender que nenhum floco de neve cai no lugar errado !

domingo, 11 de julho de 2010

Levando meu Pai ate as Nuvens

video

Registro das imagens do voo-duplo com meu pai, em julho/2010. Obrigado pela companhia, pai.

E que o universo possa sempre nos presentear com dias como este.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Vivendo o essencial !



Compartilhando o lindo texto que recebi por email ... Mario de Andrade, em sabias palavras !

"Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora.

Tenho muito mais passado do que futuro. Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas. As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades. Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados. Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.

Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.

Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.

Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário-geral do coral.

As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos. Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa...

Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, que não se encanta com triunfos, que não se considera eleita antes da hora, que não foge de sua mortalidade, Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade!

O essencial faz a vida valer à pena. E para mim, basta o essencial!"

terça-feira, 6 de julho de 2010

Quanto tempo dura um instante ?


(a foto anexa capta um instante cujos olhos humanos nao podem ver ... Assim como na fotografia tambem eh a vida, cheia de instantes que os olhos nao viram, mas so o coracao poderia sentir)


Neste inicio de semana, pude presenciar na pratica o significado da fragilidade da vida humana. 2 amigos proximos receberam a noticia de falecimento de familiares queridos. O sogro de um deles que faleceu dormindo, e o pai do outro que faleceu de infarto ... Triste noticia, especialmente quando estamos longe e nao esperamos. Mas ao refletir sobre o assunto, me dei conta de que na maioria das vezes (salvo casos de doencas mais graves) nao estaremos por perto tampouco preparados para enfrentar este acontecimento ...

Certamente uma dor dificil de medir e avaliar. A dor do vazio e das expectativas nao realizadas. A palavra que nao foi proferida ou o carinho que nao foi retribuido. Pensei em quantas expectativas carregamos dentro da gente e sempre deixamos para depois. Quanto sentimento que foi guardado sempre na espera de um melhor momento. Me dei conta de que nao existe "melhor momento". Palavras que ficarao para sempre aprisionadas em nossa memoria do passado. Que dor terrivel. Querer falar e nao dizer. Querer abracar e nao poder sentir. A intencao que nao se materializou. Parece meio cliche, mas eh preciso viver o hoje. Receber o dia como um presente para escrever sempre nossa ultima historia. Parece cruel, mas a verdade eh que um dia acertaremos.

Porem, a maioria de nos funciona com o aprendizado pela dor. A dor da ausencia que machuca, mas que certamente fara crescer. O crescimento que machuca. Como uma lagarta que precisa romper o casulo antes de voar. Como uma crianca cujos ossos parecem nao caber mais no proprio corpo. Crescimento pela dor. Normalmente a forma de aprendizado mais dolorida, porem a mais rapida e eficiente. O dificil eh dar o primeiro passo para vencer esta dor. Particularmente, tenho pedido aos meus orientadores espirituais para que me proporcionem o aprendizado pelo amor e pelo humor. E certamente, todos nos temos esta oportunidade. Mas muitas vezes nao nos demos conta. Ignoramos todos os sinais do universo. Ignoramos a natureza que esta a nossa volta.

As vezes nao basta enxergar com os olhos. A visao humana eh limitada, e nossos olhos apenas captam a reflexao da luz na materia que nos rodeia. Se no escuro nao podemos ver, no claro tampouco poderemos enxergar. Eh preciso sentir com o coracao. O universo esta a cada minuto tentando se conectar com cada um de nos. Seja atraves de um estranho que nos sorri na rua ou um chuveiro queimado. Mas precisamos ter sensibilidade para absorver e entender. Estar com o coracao aberto a novas percepcoes e interpretacoes da realidade. A realidade que bate a nossa porta as vezes vem disfarcada. Mas sempre esta ali, basta querer e saber olhar.

Me veio uma reflexao estranha: quanto tempo dura um instante ? A vida eh fragil e um instante pode durar uma vida inteira ou ate meio segundo. O tempo de um instante eh relativo, e os olhos nao podem captar nem o relogio jamais podera medir ... Somente o relogio do coracao. E este relogio eh individual, cada um de nos tem uma batida diferente.

Em um instante podemos fazer um filho, mas em um instante tambem perdemos um ente querido. E a todo instante fomos programados para reprimir nossos sentimentos. Se uma crianca chora, logo oferecemos um brinquedo. O choro de um nene logo eh associado a fome, e a mae oferece seu peito. E crescemos com medo de fracassar. Mas esquecemos que qualquer sentimento pode ser bom e trazer efeitos saudaveis a nossa evolucao.

Que cada um de nos possa viver com intensidade a plenitude de cada instante, um a um. Que todos os dias consigamos mergulhar e expressar nossas emocoes, para dormir sempre com o recipiente limpo e vazio. E que toda reflexao sirva para a construcao de um mundo melhor para se viver. "Nao somos seres humanos vivendo uma experiencia espiritual, mas sim seres espirituais vivendo uma experiencia humana".

Um sorriso caloroso no coracao de cada um que teve paciencia e me deu o privilegio de dedicar um precioso instante para ler ate aqui.

Namaste.

By Dudu Guedes

domingo, 4 de julho de 2010

Momento Especial nos Ceus



















Dia 03 de julho. Tive o privilegio de levar o meu pai nos ceus, faze-lo tocar as nuvens e compartilhar um pouco da visao dos deuses. Sentir-se grande e ao mesmo tempo pequenino, como ganhar as asas de icaro para voar junto e como um gaivota. Abaixo transcrevo o presente que ganhei dele quando crianca. Dizem que a palavra dos pais gruda nos filhos. Sera ? Bem, hoje pude concordar com o trecho "voa suave" e retribuir o presente ... Obrigado pai pela visita e por este momento ! E mae, quando eu estiver no rio, sera a nossa vez ! Obrigado Deus por mais este dia de eterno aprendizado ! "Existem 86.400 segundos em cada novo dia. Precisamos usá-los com sabedoria".
(poema escrito por meu pai, na minha infancia)
Eduardo

Pequeno homem
Homem guerreiro
Lanca do arqueiro
Solta no ar

Segue teu rumo
Estou aqui
Se precisares me ouvir

Homem Sincero
Do amor tao belo
Seras eterno

Pisa bem forte
Voa suave
E saias sempre da tempestade

Curta a vida bem distraido
Mas com cuidado, mas com sentido
Mas com bom senso de saber julgar

E sejas sempre o que tu es
Crianca pequena, rapaz guerreiro